a ânsia desmedida do calor

O calor se move com as mariposas.
Se alimentam de vida escassa e pólem, voam rotos, juntos, em busca de luz pra crescerem e se agigantarem.
O calor se apossa, toma de conta sem prévio aviso, se apodera, expande e precisa urgentemente de espaço.
Age inconsequente: Invadindo casas, suando, copos e corpos gelados, embolorando matéria e miséria.
Mas é bálsamo: Força idas à água, cora ombros incolores, abre os poros das flores, jogando no ar odores, entre outros mil fatores.
Em suma, é prévia de chuva.

Anúncios

Sobre Isaac de Moraes

Procurando por algo, continua incessante Sem saber o que seja, continua incompreendido Mesmo decidido segue errante
Esse post foi publicado em Casualoidades, Poesiar. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s