Odette

Represarias do tempo de menina, saia curta e jeans
O amor mal respondido e as pazes com a família
Prazeres da carne selados nos cantos da igreja
Cisnes num lago de espelhos

A falta de entender e a curiosidade
As idas a fabrica de meia, lá, sua terceira idade
Fibras a lhe amarrar as mãos
Penas espalhadas no chão

Sua dor transformada em cisnes
A procura por um príncipe
Uma Odette enfeitiçada, nas garras do próprio destino

As sapatilhas a lhe apertar os dedos acabam a destruir seus pés
Impedindo-lhe de conhecer os pesos
Das próprias asas, cai
A grande farsa destrói seus sonhos
A ave negra cruza os céus e seu amante se afoga nos pesares do lago das tristezas

Sua dor transformada em cisnes
A procura por um príncipe
Uma Odete enfeitiçada, nas garras do próprio destino

Anúncios

Sobre Isaac de Moraes

Procurando por algo, continua incessante Sem saber o que seja, continua incompreendido Mesmo decidido segue errante
Esse post foi publicado em Casualoidades, Idolátria, Músik, Poesiar. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s